skip to Main Content
21 3282-5071 / 3251-4761 monicacabral@monicacabral.com.br
endocrino-monicacabral_base-balao

Balão Intragástrico

O tratamento contra a obesidade com o Balão Intragástrico é um dos tratamentos para a obesidade, associado a reeducação alimentar e mudança dos hábitos.
Há diferentes tipos de prótese ( Balão):

  1. “Reajustável” (duração de 9 meses a 1 ano).
  2. “Tradicional” (duração 6 meses)

O Balão ocupa até 70% do volume do estômago, reduzindo de maneira muito considerável o espaço disponível para alimentos líquidos e sólidos dentro do órgão.
O Balão proporciona a sensação de saciedade por um tempo maior, pois se localiza no fundo do estômago causando a distensão do órgão. Esse movimento estimula os receptores que transmitem para o cérebro a sensação de saciedade fazendo com que o “balonado” (definição para os pacientes que colocam o Balão) sinta-se como se tivesse acabado de comer; saciado e sem fome.

O Balão retarda o esvaziamento gástrico, pois reduz o ritmo da passagem de comida do estômago para o intestino. Isso faz com que o alimento fique por muito mais tempo no estômago, proporcionando sensação de saciedade por um tempo bem maior.
Com o Balão Intragástrico a sensação de fome é diminuída e a saciedade aumentada. Com esse método, a ingestão de pequenas quantidades de comida é suficiente para satisfazer o usuário, e a sensação de saciedade dura mais tempo.

passagem-balao-intragastrico
8843034_orig

Balão Intragástrico Reajustável

O Balão é reajustável, ou seja, é possível aumentar e diminuir o volume do balão durante o tratamento. Assim, pacientes que na fase de adaptação apresentem vômitos excessivos, podem ter o volume do seu balão reduzido de modo a evitar a retirada precoce do mesmo.

Aos 6 meses de tratamento, o volume do balão pode, caso necessário, ser aumentado, levando ao aumento do efeito do balão (o balão volta a ter um efeito semelhante ao do início do tratamento), o que pode levar a uma maior perda de peso. O tratamento com esse balão, no restante, apresenta as mesmas características e os mesmos mecanismos de ação dos balões convencionais.

balaointragastrico

Balão Intragástrico Tradicional

Esse método consiste na colocação de uma prótese de silicone em formato de esfera, preenchida por água e azul de metileno, a qual é inserida no estômago do paciente. As próteses comportam um volume entre 400 a 700 ml, com o volume determinado de acordo com a necessidade identificada para cada paciente.

O procedimento com Balão Intragástrico não é cirúrgico, portanto não envolve anestesias e cortes. A prótese é colocada e retirada por meio da endoscopia com pronta recuperação, e alta imediata.

info-balao-gastrico Clique para ampliar
foto-bal–o

Indicação e duração do tratamento

O tratamento é indicado para pacientes com obesidade (IMC acima de 30), com ou sem doenças relacionadas ao excesso de peso, e que já tenham tentado diversos tipos de tratamentos clínicos para emagrecer, sem sucesso.

O tratamento também é indicado para pessoas obesas que irão se submeter a algum tipo de cirurgia, pois o balão auxilia na perda de peso e, consequentemente, reduz de maneira considerável o risco cirúrgico.

O tempo de duração desse tratamento é de seis a nove meses, dependendo da prótese utilizada.
Após esse período, ele deve ser retirado. Contudo, esse tempo é variável e pode ser mais curto, caso o paciente consiga atingir o objetivo traçado junto ao médico antes do prazo máximo de permanência da prótese.

Após a retirada da prótese, é indicado que o tratamento tenha continuidade por pelo menos mais um ano com o acompanhamento de nossa equipe multidisciplinar.

Desvantagens do Balão Intragástrico

Todos os procedimentos médicos tem desvantagens e podem causar efeitos secundários, mas o balão intragástrico tem menos complicações que a cirurgia bariátrica, mais invasiva. Há efeitos colaterais, como a seguir:

Complicações menores

  • A dor, náuseas e vômitos em alguns casos. Na maioria dos pacientes ocorrem algumas horas após a inserção do balão. Às vezes, alguns medicamentos são prescritos para diminuir estes efeitos colaterais.
  • Uma maior incidência de problemas gastrointestinais, como úlceras estomacais e erosões.
  • Até 40% dos pacientes não conseguem a perda de peso desejada após a colocação do balão intragástrico. Na maioria dos casos isso é devido à eliminação precoce do balão por causa de problemas psicológicos ou intolerância digestiva.
  • Alguns pacientes rapidamente aprendem a evitar o efeito da perda de peso de seu balão intragástrico pelo consumo de alimentos de alto valor calórico, ricos em gorduras e outras pequenas refeições ao longo do dia, ao invés de fazer a dieta prescrita.
  • Alguns pacientes recuperam até 41% do peso que perderam depois de remover o balão e durante os seis meses seguintes, especialmente, por não ser capaz de manter uma dieta saudável.

Alguns destes efeitos secundários geralmente desaparecem depois de alguns dias, mas os pacientes que querem fazer o procedimento devem estar cientes de que podem sofrer desconforto, dor e vômitos após o procedimento. Os pacientes devem entrar em contato com seu médico se os sintomas persistirem.

Complicações maiores

  • A hemorragia interna ou a perfuração do tubo digestivo durante a colocação do balão Intragástrico. As complicações podem ocorrer durante o procedimento, não importa o quão cuidadoso seja o cirurgião.
  • As infecções podem ocorrer após a colocação do balão. No entanto, qualquer clínica ou hospital com elevados padrões de higiene deve ser capaz de impedir tais infecções.
  • A complicação mais grave do balão Intragástrico é o risco de obstrução no intestino delgado. Isto pode ocorrer se houver vazamentos no balão ou esvazia e passa do estômago para o intestino delgado ou duodeno, donde pode causar bloqueios, que, em alguns casos, tem sido fatais.

Pacientes inadequados do Balão Intragástrico

Os seguintes pacientes não são adequados e eles não devem realizar-se este procedimento:

  • Qualquer pessoa que tenha sido submetido a uma cirurgia gástrica anterior por qualquer motivo (o risco de obstrução aumenta significativamente)
  • Pacientes com hérnia de hiato de 5cm ou mais.
  • Indivíduos que sofrem de distúrbios de coagulação.
  • Pacientes com úlceras de estômago por endoscopia, ou tendência à gastrite.
  • Mulheres grávidas, que querem engravidar ou estão amamentando.
  • As pessoas que abusam do álcool ou sofrendo de dependência às drogas.
  • Pacientes com doença grave do fígado.
  • Doença de Crohn (aumenta o risco de obstrução intestinal).
  • Pessoas que tomam medicamentos anti-inflamatórios não esteroides.
  • Pacientes psiquiátricos.
  • Pacientes com transtorno de compulsão alimentar.
Back To Top
Pesquisar