skip to Main Content
21 3282-5071 / 3251-4761 [email protected]
endocrino-monicacabral_base3

Eu tenho Síndrome Metabólica?

Atualmente além de haver uma preocupação com o peso existe uma forte preocupação em relação ao diâmetro da cintura. Saiba porque o padrão maçã está mais relacionado ao infarto, diabetes, HAS, dislipidemia e outras doenças. A Síndrome Metabólica (SM) é uma condição de risco cardiovascular, relacionada com resistência à ação da insulina e obesidade abdominal. A SM tem correlação forte com doença cardiovascular, aumentando a mortalidade geral em cerca de 1.5 vezes e a cardiovascular em 2.5 vezes.

Um recente consenso (“Adult Treatment Panel III, ATP III) sugere que os indivíduos portadores de três ou mais dos seguintes critérios devam ser considerados como portadores de síndrome metabólica:

  1. Obesidade abdominal (visceral), medida ao nível do umbigo: cintura > 102 cm em homens e > 88 cm em mulheres;
  2. Hipertrigliceridemia: > 150 mg/dL
  3. HDL colesterol: < 40 mg/dL em homens e < 50 mg/dL em mulheres;
  4. Hipertensão arterial sistêmica > 130/85 mmHg;
  5. Glicemia de jejum: > 110 mg/dL (recentemente, a Associação Americana de Diabetes sugeriu que os valores de normalidade para glicemia de jejum fossem reduzidos para, no máximo, 99 mg/dL, sendo possível que esse critério seja adotado também para síndrome metabólica em um próximo consenso da ATP III).

Em abril de 2005, a International Diabetes Federation (IDF) lançou uma nova definição para Síndrome Metabólica. A entidade espera que o método adotado represente uma ação preventiva mais agressiva, facilitando a detecção precoce. Os critérios são:

  1. Obesidade abdominal (visceral), medida da circunferência abdominal: cintura > 94 cm em homens e > 80 cm em mulheres;
  2. Hipertrigliceridemia: > 150 mg/dL
  3. HDL colesterol: < 40 mg/dL em homens e < 50 mg/dL em mulheres; 4.Hipertensão arterial sistêmica > 130/85 mmHg;
  4. Glicemia de jejum: > 100 mg/dL

CONCLUSÃO: Reduzir o diâmetro da cintura através da reeducação alimentar, atividade física e com uso de medicamentos adequados quando necessários, implica em redução do risco cardiovascular e vida mais saudável!!!

article-l-20141133212342945269000

Calcule o seu IMC

imc

Importância da medida da cintura

Tradicionalmente, o grau de obesidade é medido pelo Índice de Massa Corpórea mas IMC é um parâmetro impreciso, porque não permite discriminar se o excesso de peso está ligado ao excesso do tecido gorduroso ou à hipertrofia dos músculos. Não permite, ainda, diferenciar se o tecido adiposo está mais concentrado no abdômen – situação de risco mais alto — ou nos glúteos e nas coxas, localizações de menor associação com risco cardiovascular. Essas limitações diminuem a acurácia do IMC na identificação daqueles com maior probabilidade de desenvolver doenças crônicas, como as cardiovasculares, diabetes e câncer.
O acúmulo de gordura na região abdominal não envolve apenas questões estéticas, guarda relação direta com a deposição de tecido adiposo no interior da cavidade abdominal, característica associada ao aumento da mortalidade geral.

Pegue a fita métrica e meça a cintura que deve ser medida na parte mais estreita do abdômen ou na região entre a última costela e o umbigo. Se você for mulher, com circunferência abdominal acima de 88 cm ou homem com mais de 102 cm, preste atenção.

Tanto em homens como em mulheres, a medida da circunferência abdominal está fortemente ligada à mortalidade geral.
Comparados aos homens com circunferência menor do que 90 cm, aqueles com 110 cm ou mais apresentaram mortalidade 52% maior. Mulheres com 95 cm ou mais tiveram mortalidade 80% mais alta do que aquelas com circunferência abaixo de 70 cm em alguns estudos.

Para cada 5 cm de aumento na circunferência abdominal, houve aumento de 7% na mortalidade masculina e de 9% na feminina, dados que se repetiram em todas as faixas do IMC, com exceção daquela abaixo de 20 kg/m2, nos homens. A associação foi mais acentuada entre os 20 e 59 anos de idade, mas foi documentada mesmo entre os participantes de 70 a 84 anos.

Comparados com o subgrupo de menor circunferência abdominal, os homens com circunferência maior perderam aproximadamente 3 anos de vida; nas mulheres, a perda foi de 5 anos. A associação mais evidente foi com doenças respiratórias e cardiovasculares; a relação com as mortes por câncer foi menos clara, embora significativa.

Há evidências de que a atividade física moderada combinada com dietas menos calóricas provoca mudanças metabólicas capazes de evitar a instalação de doenças como diabetes, hipertensão arterial, ataques cardíacos e derrames cerebrais, mesmo quando a perda de peso corpóreo é inferior a 3%.

Relação cintura-quadril

A relação cintura-quadril (RCQ) é o cálculo que se faz a partir das medidas da cintura e do quadril para verificar o risco que um indivíduo possui de sofrer de doenças cardiovasculares, pois quanto maior a concentração da gordura abdominal, maior o risco de problemas como colesterol alto, diabetes, hipertensão e aterosclerose. Por outro lado a gordura que se acumula na região do quadril pode ter efeito protetor cardiovascular. Ou seja o padrão de maior risco é quando há maior acumulo na região abdominal e menor acumulo de gordura na região do quadril. Nessa situação a relaçao cintura quadril sera maior e maior sera o risco cardiovascular.

De acordo com dados da Associação Americana do Coração, uma pessoa pode desenvolver a síndrome metabólica quanto um conjunto de fatores – incluindo alta pressão arterial, níveis de colesterol inadequados, resistência à insulina e acumulo de gordura na região da cintura – ocorrem ao mesmo tempo, aumentando o risco de doenças cardíacas, diabetes e outras condições.

A presença dessas doenças juntamente com o excesso de gordura na região abdominal do corpo também aumenta o risco de problemas mais graves para a saúde, como infarto, AVC e gordura no fígado.

Como calcular

Para calcular a relação cintura-quadril deve-se utilizar uma fita métrica para avaliar:

  • Tamanho da cintura, que deve ser medido na parte mais estreita do abdômen ou na região entre a última costela e o umbigo;
  • Tamanho do quadril, que deve ser medido na parte mais larga das nádegas.
  • Em seguida, deve-se dividir o valor que obteve do tamanho da cintura pelo tamanho do quadril.
RCQ

Resultado

Os resultados da relação cintura-quadril variam de acordo com o sexo, devendo ser de no máximo 0,80 para mulheres e 0,90 para homens.
Resultados iguais ou superiores a esses valores indicam alto risco para doenças cardiovasculares, sendo importante lembrar que quanto maior o valor, maior o risco.

Nestes casos, é aconselhado procurar ajuda médica e acompanhar a perda de peso e fazer novas medições da cintura e do quadril, para avaliar a diminuição do risco à medida que o tratamento for sendo seguido adequadamente.

maca-pera
Back To Top
Pesquisar